Congresso do IBET discute rumos do Sistema Tributário Brasileiro

Mais de seiscentos profissionais de todo o país, dentre graduandos e especialistas do Direito e áreas afins, preencheram o espaço do Hotel Renaissance, entre os dias 12 e 14 de dezembro de 2012, em São Paulo, para se discutir e pensar juntos sobre as principais problemáticas da atualidade: foi o Congresso Nacional de Estudos Tributários.

Em sua 9.ª edição, o evento promovido pelo IBET Instituto Brasileiro de Estudos Tributários (IBET) inovou mais uma vez. Atentos a discussões sobre a comissão criada para reavaliar pontos da Constituição, no que diz respeito às questões tributárias, o Instituto organizou o Congresso sob o tema Sistema Tributário Nacional e Estabilidade da Federação Brasileira.

Com o propósito de atualizar a comunidade jurídica sobre as discussões pautadas na atualidade, o IBET reuniu palestrantes como o presidente do Instituto e o professor Emérito e Titular da PUC-SP, Dr. Paulo de Barros Carvalho. Compondo as mesas de discussão, mestres e doutores de instituições renomadas de ensino ocuparam três dias de uma produtiva programação.

Para discutir sobre as novas implicações do sistema tributário, o IBET convidou profissionais diretamente envolvidos nas discussões sobre a Constituição como os professores Paulo de Barros Carvalho, Ives Gandra, Souto Maior Borges, Bernard Appy e Everardo Maciel. Aliado a isso, em mais de oitenta palestras, os convidados puderam fornecer aos participantes uma gama de conhecimentos sobre Federação Brasileira, suas leis e implicações; Guerra Fiscal; mudanças no Sistema Tributário Brasileiro; dentre outros.

IBET

Criado em 1971 pelos juristas Rubens Gomes de Sousa, Antonio Roberto Sampaio Dória e Fábio Fanucchi, o Instituto Brasileiro de Estudos Tributários (IBET) construiu, ao longo de sua história, uma horizontalidade de conhecimento capaz de atender aos diferentes núcleos do conhecimento jurídico. Tal característica se reflete na qualidade e pluralidade dos profissionais do Direito que atuam no IBET, com advogados tanto da iniciativa privada quanto de instâncias públicas.

Buscando diária renovação em termos de discussão, o Instituto é referência na disseminação do conhecimento atualizado, com a construção de espaços plurais e capazes de atentar à especificidade de leis existentes em cada região do país. Atualmente, existem 27 IBETs distribuídos pelo país, com mais de 1.500 alunos e com cerca de 10.000 profissionais já formados.